SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 22 de Julho de 2024


Geral Domingo, 04 de Fevereiro de 2024, 08:38 - A | A

04 de Fevereiro de 2024, 08h:38 - A | A

Geral / ECONOMIA

Mercado imobiliário em VG contabilizou R$ 1,1 bilhão em faturamento no ano passado

A movimentação financeira foi em cima de 5,5 mil unidades comercializadas no período

FECOMERCIO MT
CUIABÁ MAIS
[email protected]



A movimentação financeira foi em cima de 5,5 mil unidades comercializadas no período, segundo levantamento do Sindicato da Habitação de Mato Grosso (Secovi-MT)

O mercado imobiliário de Várzea Grande está aquecido. O município apresentou expansão de 1,17% no valor transacionado em 2023 sobre o ano anterior, totalizando mais de R$ 1,113 bilhão em 5.574 unidades comercializadas. O levantamento consta nos Indicadores do Mercado Imobiliário, realizado pelo Sindicato da Habitação de Mato Grosso (Secovi-MT) e divulgado pela Fecomércio-MT, e trazem resultados estáveis.

Ainda assim, o presidente do Secovi-MT e vice-presidente da Federação, Marco Pessoz, ressalta os números observados no pós-pandemia na cidade. "Todos os indicadores estão superiores a 2020, ano da pandemia. Isso sugere que houve uma recuperação no pós-Covid-19 e, agora, entramos em um período de estabilidade, cujo cenário para 2024 se desenhará em função do desempenho econômico da cidade".

Os dados de 2023 mostram que a maioria dos imóveis vendidos foram nas regiões Oeste (1.919) e Norte (1.778), em áreas consideradas residenciais, correspondendo a 66,3% do total comercializado.

Os dados obtidos em parceria com a Prefeitura de Várzea Grande, por meio de fonte de dados do ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis), e com apoio da Fecomércio-MT, mostra uma retração de 3,20% no valor total financiado em 2023 quando comparado com o ano anterior, chegando a R$ 364,7 milhões.

Tal situação também reflete no percentual financiado dos imóveis, que teve redução mais expressiva, de 4,43% na comparação anual. Pessoz esclarece que este recuo ajuda a explicar parte dos resultados. "Isso pode indicar uma menor tomada de crédito por parte dos interessados, que pode ter entre as causas a alta taxa de juros e dificuldades de aprovação por endividamento da população".

Conforme análise dos dados, o responsável técnico pela pesquisa e vice-presidente do Secovi-MT, Guido Grando Junior, verificou um recuo no número de unidades comercializadas entre o primeiro e segundo semestre de 2023, em 6,72%. Isso ocasionou, consequentemente, uma redução no valor total financiado, de R$ 547 milhões no primeiro semestre de 2023 para R$ 512 milhões no segundo.



Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram