SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 22 de Julho de 2024


Opinião Segunda-feira, 22 de Julho de 2019, 09:27 - A | A

22 de Julho de 2019, 09h:27 - A | A

Opinião / MARCELO PORTOCARRERO

O fracasso do grande golpe

O que eles não contaram era com a incompetência dentro de casa



Vocês já pararam para pensar porque a criação do grupo de países social-comunistas subamericanos autoproclamado Foro de Saint Paul aconteceu em um país chamado Bracil?

 

Esse foi o primeiro sinal do esquema para que Lola substituísse Fudel como o grande líder, em que pesasse a aparente proeminência de Trancas, sempre ao lado do decadente ditador cubabenho como um papagaio de pirata. Fato é que os dois e seus sucessores passaram a depender da tutela de Lola.

 
 

 

Para começar a entender o esquema montado basta lembrar que Lola bancou indiretamente as eleições presidenciais dos candidatos dos países membros do Foro de Saint Paul através das propinas repassadas pelas empresas bracileirasque executavam obras em todos eles como está sendo demostrado pelas investigações em andamento por todo o continente.

 

O resto virou história, a história das derrotas eleitorais de quase todos os governos envolvidos em corrupção na America do Sub e o final catastrófico do grande golpe

A partir daí Lola começou a investir maciçamente na estratégia de torná-los cada vez mais dependentes do apoio bracileiro com a permanência dos investimentos nas obras de infraestrutura daqueles países desde que financiadas pelo Banco Nacional do Desperdício Social e Econômico – BNDSE e executadas por empresas bracileiras.

 

Um golpe de mestre, pois unia assim duas estratégias para alcançar seu objetivo. A primeira através da amarração financeira dos governos locais através dos financiamentos do banco estatal bracileiro e a segunda pela arrecadação de fundos para a sustentação financeira de seu plano de poder.

 

Por outro lado, com o agravamento da saúde de Fudel ficou claro que o esquema não tinha outra opção para substituí-lo no plano de comunização dos países que fazem parte do continente subamericano senão ele mesmo, Lola, exatamente como maquiavelicamente planejado.

 

O que não contaram era com a incompetência dentro de casa a começar pelo processo que ficou conhecido como mansalão e terminando com a disputa interna de Lola com a pessoa que escolheu a dedo para cobrir sua quarentena obrigatória no governo do Bracil uma vez que o cérebro por detrás de tudo e seu sucessor natural havia sido desmascarado, julgado, condenado e preso. Enquanto isso, a ocupanta do cargo em questão teve a petulância de afrontar tudo, inclusive Lola, para se reeleger em um contragolpe tão devastador que acabou por destruir o maior projeto de poder bancado pela corrupção de que se tem notícia no mundo.

 

Na sequência dos fracassos do plano de poder continental veio a continuidade da Operação Limpa Rápido, o julgamento, condenação e prisão do próprio Lolae a derrota de seu poste na eleição presidencial. O resto virou história, a história das derrotas eleitorais de quase todos os governos envolvidos em corrupção na America do Sub e o final catastrófico do grande golpe.

 

OBS: Por se tratar de uma ficção, os nomes, eventos e locais foram inventados.

 

MARCELO AUGUSTO PORTOCARRERO é engenheiro civil.

 
 


Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram