SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 25 de Julho de 2024


Cotidiano Sexta-feira, 15 de Março de 2024, 10:12 - A | A

15 de Março de 2024, 10h:12 - A | A

Cotidiano / PESANDO NO BOLSO

Custo da cesta básica em Cuiabá segue em crescimento na segunda semana de março

FECOMERCIO MT
CUIABÁ MAIS
[email protected]



O preço da cesta básica aumentou em Cuiabá. O indicador averiguado pelo Instituto de Pesquisa e Análise da Fecomércio Mato Grosso (IPF-MT) revelou um aumento de 1,48% na segunda semana de março sobre a anterior, refletindo na elevação de R$ 11,45 no custo do mantimento, atingindo R$ 783,70. A alta, considerada expressiva, contribuiu para deixar o valor atual 1,21% maior no comparativo com a mesma semana do ano passado, quando era de R$ 774,27.

O presidente da Fecomércio-MT, José Wenceslau de Souza Júnior, destaca que a forte variação foi impactada, principalmente, pelo crescimento no custo do tomate e feijão, que apresentaram alta de 19,75% e 3,31%, respectivamente. “O aumento no valor da cesta está associado a alimentos muito consumidos pelas famílias, como o tomate e o feijão. Além disso, o arroz e a batata, que apesar de demonstrarem queda na semana, estão cerca de 30% superiores ao mesmo período de 2023”.

O aumento no valor médio do tomate, que passou de R$ 8,31/kg na primeira semana de março para os atuais R$ 9,95/kg, pode estar ligado ao momento atual da safra e aos impactos climáticos em regiões produtoras, contribuindo na redução da disponibilidade do hortifruti. No comparativo anual, a fruta também se situa em alta, 21,39% maior que na comparação com a mesma semana de 2022.

Já o preço do feijão, em aumento semanal de 3,31%, pode ter essa variação ligada à reposição do produto nas gôndolas dos supermercados, junto aos impactos de comercializações anteriores, que em preços maiores, chegam ao consumidor final. Ainda conforme análise do IPF-MT, a previsão de manutenção ou queda na quantidade a ser produzida em 2024 pode contribuir na elevação de preço do produto nas próximas semanas.

Wenceslau Júnior reforça que “a elevação nos preços dos alimentos tende a ter um peso maior sobre a organização financeira das famílias e indica como o custo de vida tem se comportado, como pode ser observado na verificação anual da cesta básica, que retoma alta após duas semanas estando abaixo do valor encontrado no mesmo período de 2023”.

Com variação negativa de 8,15% nesta semana, a batata pode estar sendo motivada pela ampliação das áreas de colheita, associado ao aumento da produtividade em vista às condições climáticas que contribuíram para o cultivo do tubérculo. Apesar da diminuição semanal, a comparação anual mostra o um preço 35,26% maior, atualmente.

O Sistema S do Comércio, composto pela Fecomércio, Sesc, Senac e IPF em Mato Grosso, é presidido por José Wenceslau de Souza Júnior. A entidade é filiada à Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), que está sob o comando de José Roberto Tadros.



Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram