SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 21 de Julho de 2024


Geral Segunda-feira, 29 de Abril de 2024, 06:06 - A | A

29 de Abril de 2024, 06h:06 - A | A

Geral / DESENVOLVIMENTO INDÍGENA

Fábrica de castanhas é inaugurada pela Sema no território indígena Zoró

Construção foi viabilizada por meio do Programa REM MT

Assessoria | Sema
CUIABÁ MAIS
[email protected]



As 32 aldeias do Povo Zoró estiveram representadas pelos seus caciques na cerimônia de inauguração da fábrica, realizada na aldeia Guwa Puxurej, em Rondolândia.
As 32 aldeias do Povo Zoró estiveram representadas pelos seus caciques na cerimônia de inauguração da fábrica, realizada na aldeia Guwa Puxurej, em Rondolândia.
Crédito - Priscila Soares/ REM MT

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) inaugurou uma fábrica de beneficiamento de castanhas da Amazônia no território indígena do Povo Zoró, no município de Rondolândia (a 1.064 km de Cuiabá). A construção do empreendimento beneficia diretamente 100 famílias indígenas e foi viabilizada por meio do Programa REM MT, iniciativa conjunta dos governos da Alemanha e Reino Unido, sob a coordenação da Sema-MT, que desenvolve em Mato Grosso projetos diversos para a conservação da floresta em pé. 

As 32 aldeias do Povo Zoró estiveram representadas pelos seus caciques na cerimônia de inauguração da fábrica, realizada na aldeia Guwa Puxurej, na quinta-feira (25.04).

Na ocasião, a secretária de Meio Ambiente de Mato Grosso, Mauren Lazzaretti, reforçou o compromisso do Governo do Estado com os povos indígenas por meio da atuação do Programa REM MT. 

“O REM MT é um programa do Estado que tem entre os seus pilares um extremamente importante para o Povo Zoró e para todas as 42 etnias de Mato Grosso, que é respeitar a vontade dos indígenas para que eles recebam o apoio do Estado para o fortalecimento da sua cadeia produtiva, do seu processo cultural, da manutenção da dignidade do seu povo”, declarou Mauren.

Além das 100 famílias beneficiadas pelo projeto,  todo o Povo Zoró ganhou com a construção da fábrica. Os Zorós entraram para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e receberão um recurso de R$ 1,5 milhão para entrega de 19 toneladas de amêndoas de castanha da Amazônia para organizações socioassistenciais de Rondolândia e de Ji-Paraná, no estado de Rondônia. 


Foto por Priscila Soares/ REM MT.

A Conab estabeleceu o preço de R$ 78,00 por quilo de castanha beneficiada, um valor bem acima do mercado privado, o que irá fortalecer o trabalho do povo indígena Zoró, promovendo o extrativismo e beneficiamento da amêndoa e valorizando a cadeia da castanha. Entre os objetivos do PAA está impulsionar a agricultura familiar.

Com a inauguração da fábrica de castanhas e aquisição do produto pela Conab, o Povo Zoró terá a renda das famílias garantida, o que contribui também para a manutenção da floresta em pé, do extrativismo sustentável e ao fomento do trabalho das mulheres Zorós que desempenham papel fundamental no processo de beneficiamento das castanhas.

O coordenador do projeto com o Povo Zoró, Paulo César Nunes, agradeceu o apoio que recebeu do Governo do Estado. “Não tenho palavras para agradecer à Sema e ao Programa REM. São cinco anos de trabalho, com o acompanhamento e muita atenção da coordenação do REM MT. São dois projetos que o REM apoiou aqui na primeira fase, e a gente acredita e quer que essa parceria continue com a fase dois, que, com certeza, continuará a beneficiar esses povos”, afirmou Paulo.

Além do órgão ambiental, também participaram da inauguração da fábrica de castanhas representantes das Secretarias de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc) e de Agricultura Familiar (Seaf), da Conab e do Programa REM MT.


Foto por Priscila Soares/ REM MT



Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram