SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 25 de Julho de 2024


No Alvo Quarta-feira, 03 de Julho de 2019, 14:39 - A | A

03 de Julho de 2019, 14h:39 - A | A

No Alvo / TRATAMENTO

Alunos criam vaquinha para mulher que precisa de transplante

Márcia Neves é esposa de inspetor de colégio; meta é juntar R$ 15 mil para custear estadia em SP



Estudantes do Colégio Notre Dame de Lourdes, em Ciuiabá, estão fazendo uma "vaquinha" online para ajudar Márcia Neves da Cruz, de 37 anos, esposa de um funcionário da unidade que foi diagnosticada com uma doença genética grave e precisa fazer um tratamento em São Paulo.

 

Márcia é casada com o inspetor do colégio, Flávio Domingos da Silva, de 39 anos. Ao descobrirem as dificuldades que o casal estava passando para custear o tratamento da mulher, três alunos se mobilizaram e criaram a vaquinha "Juntos pelo Flávio, com o objetivo de arrecadar R$ 15 mil.

 

 

Até o momento, 24,51% da meta foi alcançada, totalizando R$ 3,6 mil. O valor deverá ser usado para custear as despesas de Márcia e a família em São Paulo, como hospedagem, alimentação e transporte, já que o Governo custeia apenas as passagens.

 

Márcia irá viajar para São Paulo no dia 16 de julho e disse ter sido pega de surpresa pelo gesto dos estudantes.

 

“Fiquei muito emocionada, feliz por eles estarem fazendo isso por mim. Agradeço muito a Deus pela vida deles e pela ajuda que eles estão dando”, contou.

 

Fiquei muito emocionada, feliz por eles estarem fazendo isso por mim. Agradeço muito a Deus pela vida deles e pela ajuda que eles estão dando

Devido à doença, dois pulmões e o coração de Márcia estão comprometidos e a única solução possível é o transplante. Ela vive de repouso para não forçar os órgãos, mas ainda sente sofre muito com a condição.

 

“Eu sinto falta de ar, fraqueza, tontura e taquicardia. Meu coração acelera muito, às vezes eu estou dormindo e acordo passando mal”, relatou.

 

A viagem que Márcia fará para São Paulo será decisiva para descobrir se ela poderá ou não realizar fazer um transplante. Por isso, ela ficará pouco mais de um mês morando na cidade e deverá realizar uma série de exames.

 

No dia 23 de agosto, os médicos vão informar se o transplante foi aprovado. Em caso afirmativo, ela será encaminhada para a fila de transplante do Sistema Único de Saúde (SUS) e precisará viver em São Paulo até que a cirurgia seja feita. 

 

Diagnóstico

 

Márcia contou que sentia muitas dores no tórax e nas costas, mas acreditava que eram causadas por um problema na coluna. No entanto, ao ir no médico, descobriu que se tratava de uma doença muito mais grave. Imediatamente ela foi até um pneumologista, que constatou que ela sofria de deficiência de alfa-1 antitripsina (AAT).

 

A doença é genética e faz com que a enzima de mesmo nome não funcione bem. Trata-se de um distúrbio hereditário, transmitido de pais para filhos.

 

Esta condição ocorre quando o fígado não produz AAT útil - responsável por proteger os pulmões e outros órgãos de danos. Quando os níveis funcionais de AAT estão muito baixos, podem ocorrer danos pulmonares.

 

A partir do diagnóstico da doença, equipes médicas de Cuiabá encaminharam Márcia para o Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), onde poderia receber um tratamento mais especifico e completo. Desde então, ela viaja entre a capital mato-grossense e a capital paulista.

 

Como ajudar

 

A vaquinha cirtual feita em prol do tratamento de Márcia pode ser acessada AQUI.



Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram