SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 22 de Julho de 2024


Política Segunda-feira, 22 de Julho de 2019, 08:32 - A | A

22 de Julho de 2019, 08h:32 - A | A

Política / EDUCAÇÃO EM GREVE

Lúdio: "Governo é intransigente e está assediando servidores"

Deputado diz que Mendes deve atender, mesmo que de forma parcial, as reivindicações da categoria



O deputado estadual de oposição Lúdio Cabral (PT) acusou o Governo do Estado de agir com intransigência e assédio contra os profissionais da Educação, que estão em greve desde 27 de maio deste ano.

 

Segundo o petista, o Executivo vem cortando o ponto de pouco mais de 40 mil profissionais de modo a “sufocar” a greve dos profissionais.

 

Os servidores cobram o cumprimento da lei da dobra do poder de compra (Lei 510/2013), que dá direito a 7,69% a mais anualmente na remuneração durante 10 anos, bem como a Revisão Geral Anual (RGA). 

 
 

 

“O Governo está intransigente, insensível, com medidas arbitrárias, de assédio contra os trabalhadores da Educação, com corte de salário. São 40 mil famílias sem salário, sem condição de garantir o sustento de seu dia a dia”, disse ele, em conversa com a imprensa.

 

Para ser encerrada, a greve só depende de uma única coisa: uma proposta do governador de atendimento, mesmo que parcial, à reivindicação dos servidores

“O Governo não abre para apresentar uma proposta objetiva, que é o cumprimento da Lei 510. Todas as instituições já fizeram a intermediação. O Ministério Público, a Assembleia Legislativa, o Tribunal de Contas e a própria categoria, mobilizada por meio do sindicato. Mas o Governo não apresenta proposta”, acrescentou.

 

O deputado lembrou que a Assembleia apresentou uma proposta de parcelamento da reposição salarial. No documento, sugere que o Governo pague a primeira parcela, de 2,6%, na folha salarial de agosto;  a segunda, também de 2,6%, entraria na folha de novembro. Já a última, de 2,49%, em fevereiro do ano que vem.

 

Na resposta, o governador Mauro Mendes (DEM) disse não ter como prever como se comportará a receita nos próximos meses e que, portanto, não irá aceitar a proposta. Disse que assim que efetivamente o caixa melhorar, bem como o estouro dos gastos com folha, irá conceder os reajustes.

 

“Para ser encerrada, a greve só depende de uma única coisa: uma proposta do governador de atendimento, mesmo que parcial, à reivindicação dos servidores. Estamos esperando que isso ocorra”, disse o deputado.

 

Lúdio e outros parlamentares da oposição tentam obstruir as pautas de votação, de modo a atrasar o andamento de interesse do Governo. O objetivo, segundo eles, é obrigar o Executivo a apresentar uma proposta aos grevistas.

 

Leia mais sobre o assunto:

 

Sob grito de grevistas, deputados adiam votação de incentivos



Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram