SUGESTÃO DE PAUTA | EXPEDIENTE 21 de Julho de 2024


Poderes Quarta-feira, 07 de Agosto de 2019, 08:48 - A | A

07 de Agosto de 2019, 08h:48 - A | A

Poderes / RESGATE

Santuário faz campanha para trazer elefanta do Chile para MT

Ramba, de 52 anos, foi comprada em 1980 na Argentina e foi resgatada de um circo chileno em 2012



O Santuário de Elefantes Brasil (SEB) começou uma campanha para levar a elefanta asiática Ramba, de 52 anos, para o santuário de Chapada dos Guimarães (a 65 km de Cuiabá). Atualmente o animal vive no Parque Safári, no Chile, mas o ambiente não é adequado e Ramba passa a maior parte do tempo sozinha. 

 

Quando chegar ao Brasil, Ramba terá a companhia de outras duas elefantas: Maia e Rana. A primeira moradora, Guida, morreu em junho deste ano.

 

As doações devem ser feitas no site do Santuário - clique AQUI.

 

A elefanta foi comprada na década de 80, na Argentina, época em que começou a se apresentar em vários circos. De acordo com o Santuário, Ramba vivia acorrentada e era forçada a obedecer ordens, além de participar das apresentações no picadeiro. 

 
 

 

Em 1995, Ramba chegou ao Chile e foi confiscada pelo Serviço Agrícola e Pecuário do país. Apenas em 2012 a ONG Chilena Ecópolis soube da situação que a elefanta se encontrava e começou uma campanha para o resgate. 

 

Naquele mesmo ano, Ramba foi tirada do circo e levada para o Parque Sáfari Rancágua, onde vive atualmente em um pequeno celeiro. 

 

Além de sofrer com os invernos rigorosos no Chile, Ramba é uma elefanta solitária, possui abcessos recorrentes na pata dianteira e tem comprometimento renal e hepático, necessitando de dieta e suplementação adequados.

 

Recentemente, uma passagem de água natural para o recinto de Ramba também foi cortado por conta de obras no parque.

 

Transporte 

 

O parque onde a elefanta mora está localizada em Rancágua, no Chile, mais precisamente atrás da Cordilheira dos Andes. Por conta disso, o transporte de Ramba terá de ser feito em um avião. 

 

A caixa de transporte será a mesma utilizada nas viagens das elefantas Maia e Guida, em 2016. Conforme o Santuário de Elefantes do Brasil, será necessária uma reforma no teto para que ela caiba no avião utilizado. 

 

A caixa será colocada em seu habitat, para que Ramba se acostume a entrar e ficar dentro dela confortavelmente. Durante esse processo, serão oferecidos alimentos dentro da caixa, e a elefanta poderá entrar e sair dela sempre que desejar. O tempo desse processo dependerá unicamente de Ramba – com Maia e Guida, por exemplo, foram três dias. 

 

No dia da viagem, a caixa será içada por um guindaste, colocada em uma carreta de transporte e levada por terra por cerca de 97 km até o aeroporto de Santiago, para embarcar no voo rumo ao Brasil.

 

Em solo brasileiro, Ramba seguirá em um caminhão até o Santurário, no Rio da Casca, em Chapada dos Guimarães. Todo o trajeto deverá contar com uma escolta da Polícia Rodoviária Federal (PRF).



Comente esta notícia


65 98119-2325

[email protected]

icon facebook icon twitter icon instagram